Cinefriki de Junho

Ainda sem recuperar-nos do delírio de From Beyond, estamos já em disposição de avançar a programação para o Cinefriki do Faluya. Nesta ocasião, o cartaz homenageia It Follows, não porque se vá projectar, senão porque adoramos.
O dia 4, primeira segunda-feira do mês, projectar-se-a finalmente Вий (Viy, 1967); filme programado para Maio mas suspenso por um infeliz acaso. Falamos em diversas ocasiões dele, pelo que não nos pararemos demasiado na sinopse. Apenas lembrar que se trata duma produção singular devido à pouca proliferação do género de terror na antiga URSS. Aliás é uma formosa adaptação dum relato de Gogol. Recomendamos muito.

Viy

O segundo filme será no dia 11. Esta vez teremos uma outra esquisitice: Angustia (1987), de Bigas Luna. O realizador catalão, finado em 2013, sempre foi mais lembrado por dramas bastante “picantes”, devido a uma concepção particular do erotismo. É preciso esquecer isso porque Angustia é uma obra totalmente diferente e horripilante, apesar de seguir a clássica fórmula do assassino psicopata dominado por uma mãe abusiva. Na sua estreia, muitos espectadores abandonaram a sala de cinema; não é difícil compreender o porquê.

Angustia

Continuará-se com Već viđeno (1987) no dia 18. Aqui adentraremos-nos no terror psicológico, num filme jugoslavo que tem a virtude de avançar certo pessimismo sobre o futuro da federação balcânica. Quando um antigo pianista é requerido para substituir um colega num concerto, o incidente traz-lhe recordações de eventos trágicos que aconteceram na após-guerra e durante o período no que fora professor de liceu.

Već viđeno

O dia 25, e como pequena despedida face a uma provável parada estival, no Bar Faluya projectar-se-a uma salada de curta-metragens significativamente díspar.
Em primeiro lugar teremos The Sandman (1991), talvez uma das curtas de animação mais sinistras de sempre. Está baseada no mesmo relato de ETA Hoffmann que servirá de inspiração para o próximo filme de Dario Argento.

The Sandman

Da Coreia do Sul trazemos 이계도함수 (A Function, 2011); uma sintética peça de terror que se desenvolve numa sala de aulas, onde uma discente intenta acabar um exame antes de ser atacada por uma tétrica figura.

A Function

O delírio maior vem da mão da curta portuguesa Banana Motherfucker (2011), história trash de eco-terror onde os antagonistas são… bananas!

Banana Motherfucker

A penúltima história é a espanhola Brutal Relax (2010), onde vemos como um senhor que padece de stress, intenta relaxar-se numa praia que é invadida por zumbis.

Brutal Relax

Fecharemos o ciclo com o clássico Toxic Percebe (2004). Máximo exponente dum subgénero ainda por desenvolver: o galicianxploitation. Aqui há tudo o que se pode inspirar no país: narcos, maré negra, o “castrapo”, um homem-percebe, percebeiros-nijas, cocaína que dá super-poderes, trilha sonora com Skacha, paternalismo madrileno… ah, e de protagonista, Tonhito de Poi.

Toxic Percebe

Já têm planos para as próximas segundas no Bar Faluya.

This entry was posted in Notícia and tagged , , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*